Academia de Letras de Rondônia é homenageada em Sessão Solene

por Igor_Cruz — publicado 10/06/2016 12h55, última modificação 10/06/2016 13h03
Proposta pelo deputado Ribamar Araújo pelos 30 anos de criação da Acler...

 

O deputado Ribamar Araújo (PR), presidiu Sessão Solene na manhã desta sexta-feira (10), na Assembleia Legislativa, em homenagem aos 30 anos da Academia de Letras de Rondônia (Acler).

A ideia da criação de uma academia de letras em Rondônia foi resultado da necessidade de um grupo multiprofissional, ligados à cultura literária local com o intuito de promover o cultivo dos livros e incentivar as atividades intelectuais e culturais da região.

A Acler é uma entidade cultural, sem fins lucrativos e de duração indeterminada, que tem sede e foro na cidade de Porto Velho, fundada em 10 de junho de 1986, portanto, completando 30 anos de existência.

A solenidade contou com apresentações culturais com a cantora Rose Chagas, que interpretou a canção “Mocambo”, de autoria do compositor e jornalista Antônio Serpa do Amaral e canção de Dolores Duran, “A Noite do Meu Bem”. Também teve apresentação do poeta e músico Ernesto Melo, interpretando “Porto Velho meu Dengo”.

A poeta e amiga da academia, Odete Pereira, declamou poesia de sua autoria e o acadêmico Gesson Álvares de Magalhães declamou poesia de sua autoria “Porto Velho ontem e hoje”.

O acadêmico e fundador da Acler, Abnael Machado de Lima frisou o dia histórico para a academia por ser homenageada pela Assembleia Legislativa, nos 30 anos de criação. Difundir a cultura e o saber de Rondônia para o Brasil e o mundo e congrega os intelectuais do Estado, é missão destes membros, disse Abnael.

Agradeceu a homenagem da Assembleia, em especial a dois nomes. O presidente Maurão de Carvalho (PMDB) e ao deputado Ribamar Araújo.

A professora Yeda Borzacov, membro da Academia de Letras frisou que a academia não é somente uma reunião de intelectuais, mas um local próprio para a produção de cultura, de saber e de conhecimento crítico. “Somos efêmeros, mas as academias são perenes”, finalizou agradecendo a homenagem.

O presidente da Academia, jornalista e escritos Lúcio Albuquerque disse ser este um dia histórico e sente-se honrado. A academia continuou, é um local para estudar o patrimônio histórico-cultural do Estado de Rondônia. Disse ser um absurdo a Prefeitura Municipal divulgar material chamando a Praça Marechal Rondon de Praça do Baú, entre outros exemplos.

Criticou a falta de apoio ao memorial Jorge Teixeira e ao complexo da Igreja de Santo Antônio, que se encontra em estado de abandono. Agradeceu a homenagem da Assembleia.

Foi homenageado e recebeu a medalha de novo membro correspondente em Manaus da Academia de Letras de Rondônia, Antônio Loureiro. Ele é médico e escritor e integrante da Academia Amazonense de Letras e presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas. Entregaram a medalha a acadêmica da Acler Sandra Castiel e o deputado Ribamar Araújo. Loureiro relatou sua trajetória no Estado vizinho e agradeceu a homenagem.

O deputado e proponente da audiência, Ribamar Araújo, se disse honrado em seu terceiro mandato como deputado em poder homenagear os 30 anos da Academia. Ao mesmo tempo se diz triste pela situação em que o país atravessa e que talvez, seja um dos únicos políticos que consegue ouvir o Hino Nacional de cabeça erguida por nunca ter tomado atitudes que prejudicassem o povo brasileiro e rondoniense.

São tantos parlamentares que poderiam trabalhar pelo engrandecimento de nosso país e que agora se veem envolvidos em escândalos e sendo presos, disse Ribamar.

Por isso disse estar honrado na entrega desta homenagem e encerrou agradecendo por esta oportunidade e citando o presidente da Academia, disse que o dia que Porto Velho tiver um prefeito comprometido com o patrimônio cultural a cidade passará a ser mais bem representada e valorizada.

O deputado entregou a placa com a homenagem ao presidente da Acler Lucio Albuquerque e ao acadêmico João Batista Corrêa. Ribamar desejou saúde e felicidades a todos.

 

ALE/RO - DECOM - [Geovani Berno]

Foto: Ana Célia e José Hilde



FOTOS