Assembleia discute área turística em Nova Mamoré e Guajará-Mirim

por Igor_Cruz — publicado 27/11/2015 14h47, última modificação 27/11/2015 14h47
Audiência pública proposta pelos deputados Lazinho e Dr. Neidson ouve autoridades e moradores...


Audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa na manhã desta sexta-feira (27) na Câmara de Vereadores de Nova Mamoré, aberta pelo deputado Lazinho da Fetagro (PT), discutiu as ações necessárias para que a região possa ser considerada área turística. Ao final, foi elaborada uma ata com as propostas colhidas. O documento foi lido pelo deputado Dr. Neidson.

Na audiência, proposta por Lazinho e Dr. Neidson, foi explicado que, além da estrutura resultante da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, há mais de cem anos, há também diversas outras atrações.

Lazinho da Fetagro explicou que, diante da possibilidade de a área envolvendo Nova Mamoré e Guajará-Mirim passar a ser considerada turística, resolveu ouvir a população. “Falei logo com o Dr. Neidson e ele prontamente concordou”, destacou.

De acordo com Lazinho, a estrutura natural de Rondônia não está sendo aproveitada como deveria. “Quando for devidamente explorada, teremos uma grande fonte de recursos, como já é o caso da agricultura”, adiantou.

Ele contou que recentemente esteve em Ilhéus (BA) verificando a situação da lavoura cacaueira. “Visitamos a casa do escritor Jorge Amado. Também fomos à primeira igreja do Brasil, visitada diariamente por cerca de 150 pessoas. Cada uma paga R$ 15 para entrar. É preciso mostrar o patrimônio que nós temos aqui e está abandonado pelos governos do Estado e federal”, citou.

O deputado explicou que algumas pessoas podem entender que audiência pública sobre turismo não é importante, mas a realidade não é essa. “Estamos falando de dinheiro, de retorno financeiro. Precisamos sensibilizar as autoridades para que investimentos aconteçam. Só eu e o Dr. Neidson falando é pouco. Precisamos que os prefeitos também tenham voz. Quando os gringos vierem para cá, terão muito o que visitar, até chegar nos bois de Guajará-Mirim”, especificou.

Lazinho da Fetagro disse que inicialmente iria ouvir a população e que somente depois disso as autoridades falariam. “Dinâmica de audiência pública precisa ser assim. Queremos saber o que os moradores estão pensando. Parabenizo a vocês por terem eleito o Dr. Neidson como representantes de vocês na Assembleia Legislativa”, afirmou.

O deputado Dr. Neidson disse que o Lazinho tem representado bem o setor da agricultura na Casa de Leis. “Temos representantes de diversas áreas na Assembleia. Lazinho representa bem sua categoria”, acrescentou.

Dr. Neidson adiantou que a intenção não era debater somente a situação de Porto Murtinho, mas também o desenvolvimento de localidades como Araras e Vila da Penha. “Posteriormente será realizada uma audiência pública em Guajará-Mirim, também para discutir o desenvolvimento”, detalhou.

Ele lamentou que a Superintendência de Turismo (Setur) não tivesse enviado um representante. “A Setur está deixando a desejar. O superintendente disse que tinha uma parceria com o Sebrae para cursos de turismo. Apresentei uma indicação para que houvesse treinamento de pessoas daqui da região, mas na verdade não existe esse curso”, frisou.

Dr. Neidson confirmou a presença do ministro da Cultura, Juca Ferreira, em Guajará-Mirim. O deputado disse que pedirá a conclusão do bumbódromo e restauração de parte da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.


Depoimentos

A turismóloga Stephanie Almeida, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo de Nova Mamoré (Semat) apresentou um breve histórico sobre a região. Ela explicou que inicialmente foi criada a Vila Murtinho, que depois passou a ser Vila Nova do Mamoré. Mostrando imagens ao público através de um datashow, ela pontuou os pontos turísticos.

De acordo com Stephanie Almeida, há programações religiosas que podem atrair turistas. Em relação ao meio ambiente, ela citou que existe o encontro dos rios Mamoré e Beni, que formam o rio Madeira. Também há a estrutura da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

A secretária Municipal de Cultura, Esporte e Turismo de Guajará-Mirim, Wisnete de Paula explicou as políticas desenvolvidas pelo município para divulgar as belezas da região. Ele citou como atrativos turísticos, ainda, o Duelo da Fronteira, o Festival Internacional de Bandas e Fanfarras, o Festival Internacional de Teatro e o Encontro dos Filhos de Guajará-Mirim.

Quanto a eventos religiosos ela citou o a festa do Divino Espírito Santo. Na parte de compras, especificou que está sendo esperada a implantação das lojas francas. Em se tratando de turismo esportivo, citou a corrida da serra, a bike trilha, o estadual de ciclismo e o trekking EFMM. Ela também explicou o que está sendo feito para recuperar parte da estrutura da ferrovia.

O vereador Mário Alberto de Souza (PV) citou as ações para melhorar o acesso a Porto Murtinho e para estruturar a localidade, como asfaltamento da estrada, pavimentação do centro histórico e implantação de um porto para pequenas embarcações. A intenção é atender o turismo de pesca.

O vereador José Cícero (PT) disse ser triste procurar na Internet e verificar que a Vila Murtinho está abandonada. Ele afirmou que a audiência pública deverá ser o primeiro passo para resgatar a história da região e incentivar o turismo.

O analista do Sebrae e empreendedor turístico Daian Saldanha afirmou que o turismo é uma mola propulsora do desenvolvimento. “Gera muito mais emprego do que uma fazenda e não estou falando mal da fazenda. A um hotel turístico estão atrelados diversos produtos e serviços”, especificou.

O presidente do Conselho de Turismo de Guajará-Mirim, Jorge Rafael, disse que Vila Murtinho e Guajará-Mirim mexeram com a história do Brasil e da Bolívia. “Turismo não é sair de férias. Representa dinheiro, representa empregos”, destacou.

O presidente da Associação de Moradores e Ribeirinhos de Nova Murtinho, Neori Delmar Quednau, explicou que um morador a localidade passa todo dia em frente à igreja e não vê a devida importância. “Mas o exemplo do deputado Lazinho dado sobre Ilhéus pode ser seguido. Muita gente de fora pode vir aqui ver o que temos de atrações. Acontece que para isso é preciso organizar Vila Murtinho. É preciso estruturar”, afirmou.

A diretora executiva da Secretaria de Estado de Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel), Isabel Silva, disse ser impossível falar de turismo sem englobar a cultura. Segundo ela, revitalizar Vila Murtinho significa respeitar o povo, a cultura e a memória da região.

A diretora de museu da Sejucel, paleontóloga Ednair Nascimento, apresentou no datashow fotos de edificações e ruínas existentes na Vila Porto Murtinho. Ela também mostrou imagens de artefatos da época da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Também foi exibido vídeo de uma maquete eletrônica sobre uma restauração que pode ser feita no local.

Lazinho da Fetagro pediu para que fosse feito um orçamento do valor necessário para desenvolver o trabalho previsto na maquete. Ele solicitou pressa, explicando que é possível inserir os recursos no orçamento 2016, que será aprovado pela Assembleia Legislativa no próximo mês.


Considerações

O prefeito de Guajará-Mirim, Dúlcio Mendes (PT), disse que não podia deixar que o patrimônio histórico fosse deteriorado. Ele reclamou da falta de apoio e citou ser difícil encontrar o órgão responsável pela recuperação. “Apoio toda e qualquer iniciativa que for decidida para a exploração do potencial turístico da região”, adiantou.

O superintendente do Patrimônio Histórico da União, Antônio Roberto dos Santos, afirmou ser necessária uma parceria entre os governos federal, do Estado e municípios. Ele explicou que em Porto Velho os bens móveis da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré já foram passados para o município, enquanto a União ficou com os bens imóveis.

Antônio dos Santos explicou que o patrimônio da EFMM está tombado da estação de Santo Antônio até Guajará-Mirim. “Isso consta na Constituição Estadual. É bom lembrar que o tombamento independe de quem detenha a propriedade. No caso da ferrovia, é preciso da anuência do Estado quando alguma obra for executada. Gostei muito da iniciativa do deputado Lazinho. Quando a maquete eletrônica foi apresentada ele logo queria o dinheiro para executar a obra. É bom ver essa disposição”, adiantou.

O presidente da Câmara de Vereadores de Nova Mamoré, Lindomar Carlos Cândido (PSD), disse que um dos lugares mais bonitos do Brasil está na região de Guajará-Mirim e Nova Mamoré. “Infelizmente as prefeituras não têm condições arcar com as despesas para estruturar os pontos turísticos. Precisamos de apoio do governo do Estado”, detalhou.

O prefeito de Nova Mamoré, Laerte Silva de Queiroz (PSDB), disse que Guajará-Mirim e Nova Mamoré são “um canto esquecido do Estado”. Ele assegurou que o deputado Dr. Neidson tem representado bem toda a região, e também agradeceu ao deputado Lazinho pelo apoio.

 

Encerramento

O deputado Dr. Neidson explicou que está formado um grupo de trabalho entre representantes da União, do Estado, da Assembleia Legislativa, dos prefeitos de Guajará-Mirim e de Nova Mamoré, além de alguns secretários municipais. O grupo discutirá o desenvolvimento do potencial turístico da região.

Lazinho da Fetagro disse que investimentos em turismo não representam gastos. Ele citou que o retorno do investimento é garantido. “Tive mais de 600 votos em Nova Mamoré e tenho trabalho no Estado todo. Como deputados, faremos nossa parte, com projeto na mão, em busca de recursos”, acrescentou.

 

 

ALE/RO - DECOM - [Nilton Salina]

Foto: Eliênio Nascimento



FOTOS