Comissão de Agricultura da Assembleia recebe diretor da Agência Idaron

por Igor_Cruz — publicado 24/02/2016 14h57, última modificação 24/02/2016 14h57
Parlamentares pedem explicações sobre solução para problemas nos escritórios do órgão...

 

Em reunião presidida pelo deputado Lazinho da Fetagro (PT), a Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa recebeu no Plenarinho, na manhã desta quarta-feira (24), o presidente da Agência Idaron, José Alfredo Volpi. Os parlamentares haviam solicitado explicações sobre as medidas que estão sendo adotadas para resolver diversos problemas existentes no órgão.

Lazinho citou seu pronunciamento na sessão da última terça-feira (23), quando cobrou a contratação de servidores ou de uma empresa para limpar os escritórios da Idaron, para que esse trabalho não precise mais ser executado por funcionários do órgão.

O deputado Adelino Follador (DEM) disse que a Agência Idaron é responsável pela economia de Rondônia, porque lida com produtores rurais. “O povo vem da roça e o piso branco das agências acabam ficando bem sujos”, destacou.

Ele também cobrou a informatização da Idaron, a possibilidade de retirar a Guia de Transporte Animal (GTA) pela Internet e a instalação de máquinas de passar cartão nos escritórios da agência.

“Hoje o produtor vai ao escritório da Idaron, pega o boleto, vai ao banco e enfrenta uma longa fila, para depois voltar à agência. Seria muito mais fácil ir logo à Idaron e passar o cartão”, disse Follador.

José Volpi reconheceu que a situação da limpeza não é boa, mas afirmou que o governador já deu autorização para agilizar o processo de contratação de uma empresa para limpar os escritórios. Em relação ao GTA eletrônico, ele explicou que o sistema já está 80% pronto.

“Não é tão simples implantar o GTA eletrônico. Não pode ser impresso em um papel qualquer, para evitar fraude. Precisamos transformar visualizações do Windows para Android, para que o técnico possa verificar a validade da guia pelo celular. E como olhar isso no meio do mato? Para isso, estamos equipando caminhonetes com antenas, para ficar nas barreiras. Mas até abril o sistema deve estar pronto”, disse Volpi.

Em relação à máquina de cartão proposta por Adelino Follador, Volpi explicou que é cobrada uma taxa mensal pela operadora, e mais um percentual que varia entre 3% e 5% do valor de cada operação. “O governo não vai pagar essa taxa, porque não podemos abrir mão de receita. Quem vai pagar? O produtor?”, indagou.

Lazinho da Fetragro disse que isso pode ser opcional. O produtor que quiser utilizar o cartão pode pagar a taxa e quem ir ao banco recebe o boleto e volta ao escritório da Idaron posteriormente. O deputado explicou que esse assunto será mais bem discutido, posteriormente.


ALE/RO - DECOM - [Nilton Salina]

Foto: Ana Célia