Comissão de agropecuária ouve setor produtivo

por Igor_Cruz — publicado 30/09/2015 19h25, última modificação 01/10/2015 09h36
Emater apresentou sua atuação junto às unidades produtivas em Rondônia...

 

A Comissão de Agropecuária reuniu-se na tarde desta quarta-feira (30), no Plenário da Assembleia Legislativa, para ouvir o setor produtivo. Para o encontro, a entidade convocada foi a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Rondônia (Emater).

O presidente da Comissão de Agropecuária, Lazinho da Fetagro (PT) esclareceu que o motivo da reunião é para realizar uma rodada de conversas com todos os órgãos que representam  o setor produtivo e por indicação do deputado Adelino Follador (DEM), foi convocada a Emater para emitir seu parecer.

Adelino Follador ressaltou a importância da Emater e a necessidade de seu fortalecimento, tendo em vista ser um órgão destinado a transferência de tecnologia e contato com o pequeno produtor, que movimenta a economia do estado.

O diretor presidente da Emater, Luiz Gomes, agradeceu aos deputados por estarem abrindo este espaço para os órgãos produtivos para o debate, ouvindo desta forma o setor.

Luiz Gomes realizou uma apresentação sobre as atividades da Emater nestes 44 anos de atuação em Rondônia, considerada a maior regional de todas as unidades por possuir 71 escritórios locais, instalada nos 52 municípios e grande parte dos distritos do Estado.

Atualmente conta com 1.075 funcionários em atividade, entre extensionista rural, na parte social, gestão, administração, apoio e aprendizes. Com esta equipe a meta é atingir 48.765 famílias de atividade rurais e familiares em Rondônia.

As prioridades da Emater são projetos de agroecologia, crédito rural, cafeicultura, piscicultura, agroindústria, pequenos animais entre outros.

Luiz Gomes realizou a explanação de todos os projetos que abrangem a agricultura familiar, onde os extensionista capacitam os produtores, aumentando a produtividade nas pequenas propriedades, respeitando a vocação de cada unidade rural.

Finalizou elencando as propostas para o próximo ano para a Emater, como a implantação do projeto floresta plantada, o de fruticultura, a ampliação do orçamento da Emater e do setor produtivo e o investimento em infraestrutura, veículos e equipamentos.

O diretor técnico da Emater-RO, Janderson Dalasen, falou sobre o programa de Propriedade Referencial com Ações Integradas para a Sustentabilidade (Prais). Hoje se trabalha nas unidades rurais com o número de um extensionista para 120 famílias. A ideia da Emater é trabalhar com o programa de acordo com o número de extensionista em cada unidade.

Com isso se buscará potencializar as unidades referenciais com este trabalho específico. Para se chegar a este trabalho é realizado o cadastro através de formulários das unidades produtivas e através da tecnologia se faz o acompanhamento da propriedade, incluindo localização geográfica pelo Google Earth.

O deputado Lazinho questionou o diretor da Emater sobre qual o orçamento e fontes de financiamento da empresa, pois após a explanação está claro a importância que ela tem ao pequeno produtor, que é o que realmente movimenta a economia do estado. Ressaltou a importância das políticas públicas do governo federal para a extensão rural.

Salientou ser importante o relatório do orçamento realizando o custo x benefícios, subsidiar a Assembleia para se discutir na casa e junto ao governador para melhorar o orçamento e as condições da empresa.

O deputado Adelino afirmou que a Emater dentro das condições atuais realiza um excelente trabalho. “É preciso ampliar, mas isso depende de recursos e vamos discutir esta situação”.

Afirmou que o dinheiro direcionado à Emater não é gasto, é investimento, tendo em vista sua importância na economia global, citando como exemplo o aumento da produtividade do café, dentro das unidades produtivas familiares.

Luiz Gomes esclareceu que o orçamento da Emater para este ano é de R$ 65 milhões, mas há deficiência para pagamento de pessoal de outubro a dezembro.

Por este motivo está sendo encaminhado projeto a ALE para suplementação orçamentária. Esclareceu sobre outras fontes de renda, como taxas de elaboração de projetos em cada unidade  e convênios com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Confirmou o envio a Assembleia do relatório do custo benefício para amparar o trabalho dos deputados.

 

ALE/RO - DECOM - [Geovani Berno]

Foto: José Hilde



FOTOS