Comissão de Agropecuária recebe ex-governador Bianco

por Igor_Cruz — publicado 09/12/2015 14h39, última modificação 09/12/2015 14h39
Bianco explanou sobre projetos para fomento do setor produtivo com possível financiamento do CAF...


Os membros da Comissão de Agropecuária e Política Rural, da Assembleia Legislativa recebeu o ex-governador e assessor da Federação das Indústrias de Rondônia, José de Abreu Bianco, que apresentou projeto de fomento do setor produtivo que poderá contar com financiamento da Corporação Andina de Fomento-CAF.

A Comissão contou com a presidência do deputado Lazinho da Fetagro (PT) e com a presença dos membros deputados Adelino Follador (DEM), Edson Martins (PMDB), Ezequiel Júnior (PSDC) e a participação de Lúcia Tereza (PP).

Bianco disse que está montando um Grupo de Trabalho (GT) com a participação de membros da Fiero e da Assembleia para buscar soluções e resolver alguns gargalos relativos à cadeia produtiva em Rondônia. Desta forma, estão sistematizando informações para, através destes dados, atrair potenciais investidores.

Ele afirmou que durante seu governo contraiu empréstimo com a CAF e que possibilitou a construção e manutenção de estradas no Estado. Disse que esta dívida já foi quitada e possibilitou o desenvolvimento de Rondônia. Segundo Bianco, a corporação está desejando investir mais em Rondônia, cujo financiamento para o Estado tem juros de apenas 2% ao ano, e é feito em dólar.

Bianco pediu aos parlamentares, através da Comissão e dos dados promissores, que levem e apresentem ao governador Confúcio Moura (PMDB) a conveniência em buscar este financiamento. Elencou algumas ideias que aponta no projeto e que foi levado ao presidente Maurão de Carvalho (PP) para discussão dos parlamentares.

Uma das sugestões apresentadas é o investimento em calçamento e pavimentação de ruas através de bloquetes, o que irá gerar mais empregos, por mais tempo, aumentando e fomentando a cadeia produtiva.

Outra é a utilização dos recursos para recuperação de áreas degradadas, especialmente em pequenas propriedades para uso de pastagem, investindo em calcário, correção de solo, sementes, e como consequência, melhorando a produtividade da cadeia produtiva do leite, que hoje gira em torno de 4 litros por hectare e que pode chegar a 40 litros no mesmo espaço. Segundo ele, serão 200 mil hectares de terra para ser recuperado e melhorando a produção de leite.  

Também terá de haver, segundo ele, investimentos na aquisição de matrizes leiteiras (vacas), bem como de reprodutores (touros) e prever a contratação de consultoria independente para avaliar os animais, para que não haja superfaturamento como já ocorreu no passado.

Outro setor que merece atenção é a piscicultura, com a construção do frigorífico de peixe e investir na produção de ração. Os investimentos para irrigação de pequenas propriedades para manter a produção o ano todo e a construção e ou ampliação de Distrito Industrial nos municípios.

É imprescindível que o Estado demonstre a preocupação com a manutenção do meio ambiente, buscando a recuperação de nascentes e o plantio de matas ciliares. Tudo isso, afirmou Bianco, para dar certo, é necessário o investimento em técnicos que possam ampliar e manter a assistência técnica aos produtores.

Outro setor necessário para investimento é aproveitar o recurso disponível para a criação e implantação da Universidade Estadual, mas com formação superior dentro das áreas mais carentes ao Estado e que atendam a vocação agropecuária de Rondônia. Também é necessário a que se formem professores nas áreas mais carentes nas disciplinas de química, física e matemática, com garantia de empregos dos formandos.

Bianco finalizou lembrando que o financiamento tem carência de quatro anos para iniciar o pagamento, o que garante a quitação do mesmo com a implantação dos projetos e o aumento da produtividade, o que consequentemente aumentará a arrecadação do Estado e garantirá a quitação natural do mesmo.

Finalizando a reunião da Comissão, os membros aprovaram as sugestões que serão levadas aos técnicos do Governo para análise e discussão dos pontos essenciais. No caso da aprovação será mantido contato com os consultores do CAF para a viabilização do financiamento e formas do repasse aos produtores.

 

ALE/RO - DECOM - [Geovani Berno]

Foto: Ana Célia