Comissão de Segurança Pública vai apurar denúncias sobre falta de efetivo

por Igor_Cruz — publicado 17/05/2016 12h05, última modificação 17/05/2016 12h05
Informações relatam que muitos policiais estão cedidos a outros órgãos e ou aguardam aposentadoria em casa...

 

O presidente da Comissão de Segurança Pública (CSP), Jesuíno Boabaid (PMN), durante a reunião desta terça-feira (17), no Plenarinho da Assembleia Legislativa, leu denúncia referente a falta de efetivo na Polícia Civil (PC) no Estado de Rondônia.

De acordo com as informações, atualmente a Polícia Civil conta com um efetivo de aproximadamente mil policiais ativos. No entanto muitos, apesar de pertencerem aos quadros da instituição estão cedidos para outros órgãos, deixando assim de realizar suas atividades fins.

Além dos servidores cedidos, cita a denúncia, centenas de policiais aguardam a aposentadoria em casa, recebendo abono permanência sem interesse de exercer um trabalho proativo, pois a maioria estaria nessa situação por questões financeiras.

Ainda de acordo com as informações encaminhadas à CSP, servidores afastados por doença, licença prêmio, férias ou outros motivos pessoais também seria uma das razões para a baixa de policiais em serviço na PC.

Delegacias fechadas ou sem o mínimo de efetivo logístico para atender as inúmeras demandas crescentes, inclusive delegacias que chegam a somar mais de três mil inquéritos parados, não seria um fato justificado por incompetência de servidores, mas segundo as denúncias, apenas por falta de efetivo.

Ainda de acordo com as informações, o Ministério Público (MP) já teria ajuizado diversas Ações Civis Públicas para a contratação de efetivo, porém o próprio Governo teria montado uma força tarefa, junto a Sepog, seus procuradores e outras secretarias para evitar qualquer tipo de contratação na Polícia Civil.

“Estão rechaçando qualquer possível aumento no efetivo nessa instituição”, diz as denúncias.

A respeito do último concurso público, realizado em 2014, apenas 121 novos policiais serão contratados e todos irão para o interior do Estado, não ficando nenhum na Capital, relata as denúncias.

Diante das denúncias, o presidente Jesuíno Boabaid, ao lado dos membros Dr. Neidson (PMN), Léo Moraes (PTB) e Só na Bença (PMDB), sugeriu que fossem convidadas autoridades competentes para que o assunto seja discutido durante reunião da CSP.

Os deputados aprovaram por unanimidade a sugestão do presidente e serão convidados para esclarecimentos das denúncias o delegado geral de Polícia Civil, Eliseu Muller de Siqueira e representantes da Procuradoria Geral do Estado, Promotoria de Justiça e Superintendência Estadual de Gestão de Pessoas (Segep).

 

ALE/RO - DECOM - [Juliana Martins]

Foto: Ana Célia


 



Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples.