CPI que vai apurar possível formação de cartel dos frigoríficos define os membros

por Igor_Cruz — publicado 17/02/2016 13h34, última modificação 17/02/2016 13h34
Composta por cinco deputados, Comissão terá 90 dias para a apuração dos fatos...

 

A Assembleia Legislativa definiu a composição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), com a finalidade de apurar a possível formação de cartel dos frigoríficos de abate de bovinos, em Rondônia.

O ato 001/16 foi lido na sessão ordinária desta quarta-feira (16). Integram a CPI os deputados José Lebrão (PTN), Ribamar Araújo, Lazinho da Fetagro (PT), Laerte Gomes (PEN) e Adelino Follador (DEM). A CPI terá 90 dias para apurar os fatos, podendo o prazo ser estendido, se houver necessidade.

No final do ano passado, foi aprovado o requerimento 397/15, de autoria coletiva, que constitui a CPI. Agora, com a definição dos cinco membros, os trabalhos vão iniciar, com a escolha do presidente, do vice-presidente e do relator.

“A Assembleia tem acompanhado com preocupação a queda na arroba do boi, pago pelos frigoríficos aos produtores. E a CPI ocorre como uma forma de buscar proteger o nosso rebanho e a nossa economia. A carne não baixou nos açougues, mas os criadores perderam e somente os frigoríficos ganham”, destacou o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PP).

Os trabalhos da CPI devem se concentrar em ouvir pecuaristas, representantes de frigoríficos, membros do Governo ligados à pecuária e também às Finanças.

“A concessão de incentivos fiscais é uma questão que precisa ser revista, pois os frigoríficos recebem o benefício e em troca, tem fechado plantas frigoríficas, causando desemprego, e praticado preços na arroba do boi inaceitáveis”, completou Maurão.

 

ALE/RO - DECOM - [ Eranildo Costa Luna ]

Foto: Ana Célia e José Hilde



FOTOS