Deputado Chiquinho da Emater pede atenção no imposto do urucu e alerta para a situação das estradas

por Ronaldo Afonso do Amaral publicado 09/10/2019 16h13, última modificação 09/10/2019 16h13
Parlamentar explica que os produtores estão sendo prejudicados pelas regras existentes na Sefin


O deputado Chiquinho da Emater (PSB), na sessão plenária desta quarta-feira (9), disse que produtores rurais estão sendo prejudicados pela queda no preço do urucu. Ele explicou que conversou com técnicos da Secretaria de Estado de Finanças (Sefin) e pediu para que os impostos praticados pela secretaria sejam revistos, caso contrário muitas pessoas continuarão sendo indevidamente penalizadas. 

O parlamentar citou o caso de uma produtora chamada Luzinete, que foi multada em Vilhena porque baixou o preço do urucu para R$ 2,80, enquanto a pauta está em R$ 4,00. “Na verdade, o urucu está sendo vendido a um real. O preço caiu muito”, destacou. 

Chiquinho da Emater adiantou que os produtores foram incentivados a plantar urucu, porque a cultura é boa, mas o preço praticado em 2017 caiu muito. Dessa forma, segundo ele, a Emater informará todo mês o preço praticado em cada município para que seja colocada uma pauta justa também para o café, o milho e o arroz.

 

Infraestrutura 

O deputado explicou, ainda, que as estradas não estão boas e que é preciso construir um caminho junto com o diretor-geral do DER, coronel Erasmo Meireles, para a recuperação das rodovias. “Estão chegando as chuvas e as estradas não foram recuperadas. Precisamos de uma ação forte, porque a maioria não tem uma base boa”, acrescentou. 

Conforme Chiquinho da Emater, as estradas estão em estado lastimável em Corumbiara, Cabixi, Urupá, Alvorada do Oeste e Ministro Andreazza. Ele alertou que logo será votada a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LOA) e que as ações para recuperação de rodovias precisam estar previstas. 

“Precisamos de projetos, porque sem eles não se consegue dinheiro. Precisamos dar apoio à agricultura familiar, porque se o produtor não tiver apoio, ele vai embora”, afirmou o parlamentar. 

O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB) disse que mais de R$ 40 milhões foram remanejados do DER para cobrir outras despesas, e isso está prejudicando o órgão. 

“Não se compra insumos e peças de máquinas sem dinheiro. Tenho certeza que o coronel Meireles tem vontade de fazer. Há à vontade, mas não o dinheiro. É preciso prioridade, se o Governo não priorizar o DER para o produtor rural poder escoar a produção, vamos viver nessa lamentação”, concluiu Laerte.

Texto: Nilton Salina-Decom-ALE/RO

Foto: José Hilde-Decom-ALE/RO

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples.