Lazinho da Fetagro destaca indenização aos servidores da saúde e da segurança pública

por Laila Luana Costa Moraes publicado 27/05/2020 14h06, última modificação 27/05/2020 14h06
Projeto do Executivo, que garante R$ 300 de benefício, foi aprovado pelos deputados estaduais, neste terça-feira

O deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT) destaca a criação de indenização aos profissionais da saúde e da segurança pública, pelo Governo do Estado, como forma de atendimento aproximado à sua reivindicação ao Poder Executivo, ainda no mês de março, de Gratificação de Incentivo a Atividades Especiais de Crise a estes mesmos servidores.

De acordo com o Estado, a indenização no valor de R$ 300 aos profissionais que atuam na linha de frente no combate ao novo coronavírus visa reduzir as despesas extras destes trabalhadores, os quais estão no grupo de atividades essenciais para preservar o regular atendimento do povo rondoniense, assumindo os custos e o ônus de redobrar os cuidados com a saúde pessoal e familiar, durante o exercício de seus serviços no período de combate à pandemia.

O deputado Lazinho da Fetagro ressalta que sua proposta defendia uma gratificação referente ao piso salarial da função que ocupa o profissional no valor de 40% (quarenta por cento) do salário base da categoria. Mas, compreende que a proposta do Executivo vem auxiliar os profissionais em parte de suas reais necessidades, bem como demonstra reconhecimento aos que tem dispensado doação e dedicação exemplar pela vida do próximo.

“Entendo que é válido o auxílio dado pelo governo, mas ressalto que mereciam muito mais como forma deste governo agradecer, reconhecer e valorizar esses profissionais que cumprem várias horas de trabalho, sofrendo a pressão física, mental e emocional, e arriscando suas vidas por nossas vidas. Travam diariamente a dura batalha contra esse agente invisível que nos ameaça e que tem nos mantido reféns. E, igual a cada um de nós, eles também vivem uma profunda incerteza em todos os aspectos que envolvem a pandemia”, observou o deputado. 

Texto: Assessoria 

Foto: Marcos Figueira-arquivo-ALE/RO