Lazinho da Fetagro fala sobre precariedade na BR 364 e sobre a “máfia do leite”

por Igor_Cruz — publicado 21/02/2018 12h02, última modificação 21/02/2018 12h02
O parlamentar pediu ao Dnit obras de recuperação na BR, que tem muitos trechos intrafegáveis...

 

O deputado Lazinho da Fetagro (PT) usou a tribuna em sessão na manhã desta quarta-feira (21) para fazer um apelo ao Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) quanto à situação precária que se encontra a BR 364.

Segundo o parlamentar há uma passividade dos representantes de Rondônia em nível federal quando se trata da rodovia, que é de extrema importância não só para os rondonienses, como também para o país. “Parece que estão navegando em águas calmas (os representantes) sendo que todo o dia tem vidas ceifadas nessa rodovia”, afirmou Lazinho.

Ele ressaltou que a falta de manutenção, além de trazer prejuízos para os bens materiais e para a vida dos cidadãos, também dificulta o escoamento de produções, prejudicando a economia do estado. Ele disse também que as partes da rodovia que tiveram obras de recuperação ano passado já estão deterioradas. “Com a BR 429 é a mesma coisa. Só buraco, então quero deixar esse pedido ao Dnit. Nossa população merece respeito”.

Lazinho tomou a oportunidade para falar também da questão do leite em Rondônia. “Quando indústrias se instalam aqui eles ganham terreno, isenção de energia, isenção de imposto tudo, porque gera emprego e produção, mas eles menosprezam o setor primário, que leva a riqueza aos laticínios, porque o preço pago aos produtores pelo litro do leite em Rondônia é o menor do Brasil”.

O deputado falou ainda, que não se pode culpar a localização do Estado, por ser distante dos centros de comercialização. “Em Estados como o Acre e Amazonas o valor pago aos produtores é maior. O que acontece aqui é que há anos está instalada uma máfia do leite”.

Ele afirmou que haverá uma audiência dia 12 de março, onde serão convidados representantes dos laticínios, produtores, secretários municipais de agricultura e o governo do Estado para esclarecer essas questões.

 

ALE/RO - DECOM - Isabela Gomes
Foto: Ana Célia

registrado em: