Parlamentares de Rondônia consideram produtiva viagem ao Mato Grosso

por Igor_Cruz — publicado 17/03/2016 13h27, última modificação 17/03/2016 13h27
Deputados colheram informações sobre CPI dos frigoríficos e funcionamento de instituto...


Os deputados Adelino Follador (DEM) e Lazinho da Fetagro (PT) consideraram positiva a viagem a Cuiabá (MT), onde foram colhidas informações que serão utilizadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possível formação de cartel no abate de bovinos no Estado de Rondônia. Follador é o presidente da comissão, e Lazinho o relator.

No Mato Grosso, eles conversaram com o deputado Ondanir Bortolini, o Nininho (PR), que preside na Assembleia Legislativa do Estado vizinho uma CPI que investiga os frigoríficos. No centro das investigações também está o JBS Friboi.

Além das informações sobre isenção fiscal concedidas a frigoríficos e sobre procedimentos necessários para evitar maiores prejuízos aos produtores rurais e aos consumidores, os deputados de Rondônia também verificaram o funcionamento do Instituto Matogrossense da Carne (Imac).

O presidente do Imac, Luciano Vacari, explicou que no Mato Grosso cada frigorífico foi convidado a instalar duas balanças, que ficam com o sistema de funcionamento lacrado. Cada uma é chamada de “caixa preta”.

“Funciona como uma caixa preta de avião mesmo. Ninguém tem acesso ao funcionamento da balança. Cada frigorífico tem duas. O produtor pode escolher entre vender o boi em pé, que é pesado em uma, ou desossado, pesado em outra. Não interferimos na negociação do preço. Isso fica entre o produtor e o frigorífico”, disse Vacari.

Paralelamente, o Imac está criando um selo para a carne produzida no Mato Grosso. Lazinho da Fetagro e Adelino Follador disseram considerar que o sistema que está dando certo no Estado vizinho deve ser aplicado em Rondônia.

Eles convidaram Luciano Vacari para vir a Rondônia, explicar o funcionamento do Imac na Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, onde Lazinho é o presidente e Follador membro. O presidente do instituto aceitou o convite, fornecendo inclusive documentação mostrando como o órgão foi criado.

Adelino Follador explicou que seria interessante para Rondônia ter um instituto como o Imac, porque isso fortalecerá os produtores e a exportação de carne. “Não basta quantidade. É preciso qualidade, porque assim há influência direta no preço para exportação”, destacou o deputado.

A comissão de técnicos que acompanhou os deputados participou de diversas outras reuniões, colhendo subsídios para a CPI, e também para a apresentação de projetos que beneficiem a cadeia produtiva de Rondônia. Os técnicos voltaram a Porto Velho na noite quarta-feira (16), juntamente com Follador.

 

ALE/RO - DECOM - [Nilton Salina]

Foto: Ana Célia



FOTOS