Sedam e Polícia denunciadas por agressão em assentamento

por Igor_Cruz — publicado 06/05/2015 07h55, última modificação 06/05/2015 07h56
Alex Redano reforça relato recebido de vereadores de Cujubim e de moradores de reserva...

 

O deputado Alex Redano (SD) usou a tribuna na tarde desta terça-feira (5) para reforçar a denúncia recebida pelos vereadores de Cujubim e moradores da reserva Angelim e Reserva Mutum, de que funcionários da Sedam e da Policia Ambiental invadiram as áreas e promoveram um verdadeiro terror com as famílias. “Não é uma acusação e sim o relato de uma denúncia sobre a truculência da Polícia Ambiental com moradores com a queima de caminhões, tratores, destruição da sede da associação, agressão e até prisão”, relatou.

Em aparte o deputado Jesuino Boabaid (PTdoB) disse que os órgãos competentes como Ibama, Sedam e Polícia Ambiental podem tomar providências para a retirada das pessoas de áreas de reserva, mas não agredir e tocar fogo na associação dos moradores. “Precisamos investigar a fundo essas denúncias e promover a defesa desses moradores que habitam nas localidades há mais de 10 anos”, disse.

O deputado Maurão de Carvalho (PP) disse que se trata de uma grave acusação. “A Sedam, que é a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental, praticando atos que não condizem com o trabalho desenvolvido pelo órgão é algo contraditório”, afirmou.  Maurão disse ainda que essas áreas não são mais reservas, pois quase tudo já foi desmatado, até pelo tempo em que os moradores estão alojados no local.

O presidente da ALE relatou que a Casa de Leis está trabalhando para aprovação do zoneamento agroecológico, para que essa situação seja resolvida, assim como outras 40 reservas que passam pelo mesmo problema. Maurão afirmou não achar justo que a Sedam e a Policia Ambiental atuem desta maneira, “por isso devemos aprovar esse projeto o mais rápido possível e garantir segurança a essas famílias”.

Alex Redano afirmou que vai pedir aos vereadores que formulem as denúncias embasadas com depoimentos, fotos e documentos. “Só com essas provas em mãos é possível dar prosseguimento nas comissões pertinentes para apuração e providencias pela Assembleia Legislativa”, encerrou.

 

ALE/RO - DECOM - [Elaine Maia]

Foto: José Hilde

registrado em: