Wilson Evaristo deixa um legado de mais de 40 anos de trabalho em Rondônia, diz Cirone Deiró

por Laila Luana Costa Moraes publicado 28/05/2020 10h52, última modificação 28/05/2020 10h52
Parlamentar reconheceu que Evaristo participou dos mais relevantes projetos para o desenvolvimento do Estado

“A morte prematura do superintendente do Banco da Amazônia, Wilson Evaristo, ocorrida no último dia 24 de maio, deixou uma lacuna para todos que tiveram a oportunidade de conviver com ele. Wilson teve uma vida marcada pela alegria e simplicidade, especialmente daqueles que ligados aos esforços relacionados ao desenvolvimento dos municípios rondonienses”, reconheceu o deputado Cirone Deiró, presidente da Comissão de Agricultura, ao requerer a Mesa Diretora da Assembleia voto de pesar aos familiares pelo falecimento de Wilson Evaristo. Em reconhecimento ao grande legado de Wilson Evaristo para todas as áreas do desenvolvimento dos municípios rondonienses, a nota de pesar será assinada em nome de todos os 24 deputados.

Cirone Deiró fez um breve resumo da trajetória de Wilson Evaristo.  Nascido em 30 de agosto de 1957, no estado do Paraná. Casado com a funcionária do Banco da Amazônia, Idalina Alves Evaristo e pai de três filhos. De acordo com o parlamentar, a exemplo de tantos os outros pioneiros, Wilson Evaristo chegou em Rondônia ainda na década de 70. “Aqui, conquistou a amizade e admiração de todos aqueles que tiveram a oportunidade de partilhar da sua convivência. Sua paixão pela vida era uma inspiração diária para a família, amigos e colegas de trabalho. Sua demonstração de carinho era sempre acompanhada de um abraço de urso, como ele gostava de dizer. Alegria na vida e campeão no trabalho essa é a imagem que sempre teremos do filho, esposo, pai, irmão e amigo Wilson Evaristo”, disse.

Formado em Administração de Empresas, pela Faculdade União das Escolas Superiores-Uniron, com MBA em Gestão Financeira pela Universidade do Estado de São Paulo-USP, Wilson Evaristo iniciou sua carreira no Banco da Amazônia-Basa em 1978, na função de supervisor de atendimento. Mais tarde, assumiu a função de gerente nas agências: Vilhena, Ji-Paraná, Porto Velho, além de Boa Vista, Roraima. “Na condição de gerente do Banco da Amazônia, Wilson Evaristo era um entusiasta de todos os projetos e ações relacionados ao desenvolvimento do estado. Esse entusiasmo com o desenvolvimento local foi ampliado quando assumiu a superintendência da instituição em Rondônia e acolheu todos os 52 municípios e seus distritos na efetivação das políticas de crédito do Banco da Amazônia”, afirmou o parlamentar ao relembrar a dedicação Wilson Evaristo ao desenvolvimento dos municípios.

Cirone Deiró registrou que, em 2011, Wilson Evaristo se tornou Diretor de Gestão de Recursos do Banco da Amazônia, em Belém-Pará, de onde, segundo ele, contribuiu ainda mais, com o desenvolvimento integral e sustentável dos estados da região Norte, em especial com o Estado de Rondônia.  Em 2016, Wilson Evaristo reassumiu a Superintendência do Basa em Rondônia e retomou o seu trabalho em prol do desenvolvimento dos municípios rondonienses. “Apaixonado pela causa dos empreendedores do campo e da cidade, ele sempre desejava fazer cada vez mais pelo estado. Por isso, mesmo já tendo adquirido o direito de se aposentar, preferiu seguir trabalhando e servindo os rondonienses como sempre fez. Foi com essa determinação e paixão que Wilson Evaristo marcou de forma singular o desenvolvimento dos municípios rondonienses nas mais diversas áreas, e contribuiu com o crescimento do Estado de Rondônia”, enalteceu.

Para o presidente do Banco da Amazônia, Valdecir Tose, Wilson Evaristo foi um grande exemplo de liderança para várias gerações de colaboradores da instituição. “É uma perda irreparável para a família, para nós do Banco da Amazônia e para o Estado de Rondônia. Ele foi um líder inspirador, tinha muita paixão por tudo que fazia. Era um apaixonado pelo Basa, um apaixonado pela família e pelo Estado de Rondônia. O que nos conforta é contemplar o seu grande legado. O homem passa, mas a história permanece. Tudo o que ele fez pelo Banco da Amazônia e pelo desenvolvimento do estado de Rondônia permanecerá em nossa memória”, disse o presidente.

Já, o amigo pessoal, ex-governador e superintendente do Sebrae, Daniel Pereira, onde Wilson Evaristo era conselheiro, lembrou que a história do superintendente Wilson Evaristo tem forte relação com todo o processo de desenvolvimento do estado de Rondônia. Segundo ele, há mais de 30 anos, testemunha de perto a sua dedicação e compromisso com o desenvolvimento dos municípios rondonienses. Daniel Pereira, recordou do período em que Wilson Evaristo foi gerente do Banco da Amazônia no município de Vilhena, e esteve ao lado dos agricultores, pecuaristas, produtores de sojas, pequenos empreendedores do campo e da cidade, no processo de desenvolvimento de todos os municípios do Cone Sul.

Emocionado o ex-governador demostra todo o seu carinho e respeito ao trabalho que Wilson Evaristo fez. “Somos amigos, há mais de 30 anos, durante esse período compartilhamos os mesmos propósitos em relação a projetos para apoiar e incentivar o desenvolvimento econômico e social em Rondônia. Segundo ele, tudo começou ainda quando Wilson era gerente do Basa, em Vilhena e, ele na condição de vereador já acompanhava o seu trabalho. “Depois, quando fui deputado estadual, ele se tornou um grande parceiro no trabalho pelo desenvolvimento de todos os municípios da região de Vilhena.

Daniel Pereira disse que à medida que o estado foi crescendo, a importância do Wilson Evaristo nesse processo também crescia. Na sua avaliação, alguns dos setores que mais se destacaram, a exemplo do cultivo de grãos, piscicultura, pecuária e a industrialização do estado teve a sua participação.  “Construímos juntos inúmeras agendas importantes que fizeram e ainda fazem a diferença na vida dos rondonienses. Rondônia é um estado que se destaca pelo potencial econômico, grande parte desse sucesso, devemos ao incansável trabalho do Wilson Evaristo. Por isso, Rondônia precisa fazer todas as homenagens a ele”, reconheceu Daniel Pereira, que acredita que a melhor forma de honrar toda a trajetória desse rondoniense é dar continuidade ao seu trabalho. 

Texto: Edna Okabayashi

Foto: Marcos Figueira-ALE/RO